Posted by : Angie Apr 18, 2020


            O sol começava a descer no horizonte, anunciando o começo da tarde em Galar. A população de Postwick abandonava, aos poucos, o centro da aldeia, regressando para as suas casas, deixando apenas os três jovens treinadores no local com as suas respetivas famílias.

            Depois de recuperar a energia de Scorbunny e Sobble com um Potion, Leon entregou as Poké Balls dos respetivos iniciais a cada treinador, que retornaram as pequenas criaturas para o interior de cada cápsula. Charizard era o único Pokémon que continuava presente no local, ao lado do seu Campeão.

            Naquele momento, as famílias preparavam-se para se despedir de Victor, Gloria e Hop, os novos treinadores de Galar, prestes a iniciar a sua jornada Pokémon.

            - Antes de irem, há algo que eu e o teu pai te queremos oferecer. – anunciou a senhora Bennett, aproximando-se do seu filho mais novo.

            - É uma tradição de família. Quando o Leon saiu em jornada fizemos exatamente o mesmo. – explicou o senhor Bennett.

            O rosto de Hop revelava um misto de curiosidade e confusão. Uma nova Poké Ball foi arremessada no campo de batalha do local, revelando um Pokémon já conhecido de todos.

            Uma criatura semelhante a uma ovelha encarava o grupo em silêncio. A maior parte do seu corpo era coberto por lã branca e espessa, dando um ar esférico à sua figura. A sua cabeça preta destacava-se do resto do corpo, assim como os dois pequenos chifres e as curtas pernas que o mantinham de pé.


            O moreno retirou o seu Rotom Phone, oferecido pelos pais no seu aniversário, e apontou a câmara do aparelho para o corpo do Pokémon.

            - Wooloo, o Pokémon ovelha. – disse uma voz robótica. – A lã do seu corpo é responsável por defender este Pokémon dos ataques adversários. A mesma matéria-prima é utilizada para produzir vestuário para todos os habitantes de Galar.

            - Por favor, aceita este Wooloo, querido. – a mãe de Hop sorriu.

            - É claro que sim! Muito obrigado! – riu o treinador de forma empolgada, virando-se para o Pokémon que parecia agitado. Os seus olhos amarelos focavam-se na figura de Charizard, que o intimidava. – Está tudo bem, companheiro? – perguntou preocupado.

            O Pokémon, no entanto, não respondeu. Assustado com o tamanho de Charizard, Wooloo começou a fugir, rebolando no seu próprio corpo de lã para bem longe dali.

            - Oh não… - murmurou Leon.

            - O que é que eu fiz de errado? – perguntava Hop visivelmente preocupado.

            - A culpa não foi tua. – começou o Campeão. – Eu acho que o Wooloo se assustou com o Charizard.

            - Faz sentido. – comentou o senhor Bennett. – Os Wooloo estão habituados a viver em comunidade. Quando vêm Pokémon diferentes, e mais poderosos, ficam bastante assustados.

            - E agora? – Gloria começava a ficar agitada.

            - Devíamos ir atrás dele, antes que se perca por aí. – opinou Victor, tentando perceber o percurso pelo qual a ovelha fugira. – Acho que ele subiu a colina!

            - Vamos!

            Sem perder mais tempo, Hop começou a correr atrás do Pokémon oferecido pelos seus pais, segurando a Poké Ball na sua mão. Não podia deixar que aquele Wooloo ficasse sozinho ou sequer perdido, afinal, agora era o seu Pokémon. Victor e Gloria partiram logo atrás do rapaz, acompanhados por Leon e Charizard. Por sua vez, a senhora Walter e o casal Bennett permaneceram no local, aguardando o regresso dos jovens.

            Em poucos minutos, o grupo subiu a colina de Postwick, que dava acesso à casa dos dois gémeos. No entanto, não fora esse o caminho tomado por Wooloo. O portão que bloqueava a entrada para Slumbering Weald encontrava-se arrombado e as pegadas do Pokémon estavam marcadas no chão de terra. Os jovens estremeceram e olharam-se uns aos outros. Aquele local era conhecido por diversas histórias lendárias e assustadoras. Podiam ser apenas mitos, mas a verdade é que ninguém se atrevia a entrar no território daquela floresta sagrada.

            - Eu não entro aí. – murmurou Victor.

            - Temos que ir! – exclamou Hop. – O Wooloo está sozinho e perdido!

            - Pode ser perigoso… - pensava Gloria em voz alta.

            - Se vocês não querem vir, eu vou sozinho. – insistiu o moreno.

            - Nada disso! – Leon interveio na situação, voltando-se para os dois gémeos. – Podia ser o vosso Pokémon nesta situação, sabiam? O Hop não tem culpa nenhuma que isto tenha acontecido. Na verdade, a culpa é minha. Foi o Charizard que assustou o pequeno Wooloo, daí ele ter fugido. Uma vez que o Charizard é o meu Pokémon, ele é a minha responsabilidade. – explicava. – E o Hop tem a responsabilidade de encontrar o seu Pokémon também. Assim como vocês, que são amigos dele e o devem ajudar. Se querem realmente sair juntos numa jornada Pokémon, então devem provar a vossa verdadeira amizade neste momento.

            Victor e Gloria baixaram as cabeças, envergonhados. As palavras de Leon eram completamente corretas e assertivas naquele exato momento. Se os três queriam partir numa viagem por Galar em conjunto, deveriam estar prontos para se ajudar uns aos outros, nos melhores e nos piores momentos.

            - Tens razão. – murmurou Victor, observando o rosto de Leon.

            - Desculpa. – suspirou Gloria, visivelmente arrependida.

            - Não há problema. Eu próprio estou assustado. – admitiu Hop. – Mas juntos vamos conseguir encontrar o Wooloo. Eu sei que sim. – disse, esboçando um sorriso amigável.

• • •

            Slumbering Weald era uma imensa floresta localizada no sudoeste de Galar. O local era composto por árvores gigantes, que pareciam tocar o céu nublado de onde descia uma densa camada de neblina que invadia toda a área florestal. Aquele era o habitat natural de várias criaturas Pokémon, inclusivamente, vários mitos diziam que Slumbering Weald protegia os guardiões adormecidos da região. No entanto, tais boatos nunca foram realmente confirmados.


            Ao entrarem no local, o grupo decidiu dividir-se para tornar a procura por Wooloo mais eficiente. Victor e Gloria formavam uma dupla, enquanto Hop e Leon formavam outra, explorando zonas opostas do local.

            Os dois gémeos caminhavam calmamente pelos trilhos de terra da floresta. Victor olhava em redor, admirando o tamanho gigante dos troncos daquelas árvores centenárias, cujos ramos se parecia espalhar pelo céu. Ao seu lado, Gloria observava atentamente os pequenos Pokémon que, de vez em quando, apareciam entre os montinhos de erva. No entanto, a névoa característica de Slumbering Weald parecia condensar-se cada vez mais à medida que os dois treinadores continuavam a caminhar pelo local.

            - Ouviste aquilo? – Victor parou de caminhar no momento em que ouvira um som no local. Eram passos. Apesar de parecerem distantes, parecia que alguém ou alguma coisa caminhava na sua direção.

            - Olha! – exclamava Gloria, apontando para duas sombras que apareciam ao fundo do local. Graças ao nevoeiro, era impossível distinguir do que se tratava. – Quem está aí? – perguntou, sem receber qualquer resposta. – Wooloo? És tu? – chamou.

            - Não me parece… - murmurou o rapaz apreensivo.

            - Devemos ir ver o que é. – insistiu a rapariga. – Não o podemos deixar fugir outra vez.

            Sem pensar muito, Gloria saiu disparada na direção das duas sombras. Victor, ainda incerto e receoso, foi obrigado a seguir a sua irmã impulsiva. À medida que continuavam a correr até ao encontro das figuras misteriosas, a névoa à sua volta aumentava cada vez mais.

            Os gémeos pararam de correr quando finalmente conseguiram observar o que a neblina escondia. Dois Pokémon encontravam-se à frente dos gémeos, que os observavam surpreendidos.

            À frente de Gloria, um grande lobo azul permanecia de pé sobre as suas quatro patas. A cauda e as orelhas do Pokémon eram laranjas, a mesma cor da trança presente nas suas costas. Todo o seu corpo parecia ferido, incluindo uma das suas orelhas, que estava cortada.


            O outro Pokémon, que permanecia em frente à figura de Victor, era um lobo de cor magenta. A sua estrutura volumosa era composta pela juba, cauda e membros azulados. Também este apresentava cicatrizes ao longo do seu corpo e metade de uma das orelhas faltava.


            Era difícil distinguir com detalhe as características dos dois Pokémon presentes entre a névoa densa, mas, apesar disso, os dois gémeos estavam espantados com as criaturas. Todo o seu ar sério e imperativo tornava aquele encontro misterioso. No entanto, as duas figuras apresentavam comportamentos incomuns. Os seus corpos pareciam ser atravessados pela neblina, como se fossem apenas uma projeção ou ilusão da realidade.

            Victor e Gloria puxaram dos seus Rotom Phones, com o objetivo de descobrir mais informações sobre aquelas figuras tão estranhas.

            - Pokémon não identificado. – falaram os dois aparelhos ao mesmo tempo.

            Os gémeos entreolharam-se surpreendidos e depois voltaram a observar as criaturas à sua frente. Antes de poderem dizer sequer alguma coisa, as duas figuras abriram as suas bocas, soltando um uivo que invadiu toda a floresta. Victor e Gloria sentiram os seus corpos serem atingindos pela imensa força daqueles Pokémon. À medida que os uivos se continuavam a fazer ouvir e a ecoar por todo o local, os dois treinadores ficavam cada vez mais fracos. Era como se estivessem a ser atingidos pelo poder daquelas criaturas. As suas pernas acabaram por ceder e os dois caíram no chão inconscientes, antes mesmo dos dois Pokémon desaparecerem entre a neblina misteriosa da Slumbering Weald.

• • •

            Já era noite. O céu estrelado de Postwick servia como plano de fundo para todos os curiosos que se aventuravam a imaginar as infinidades do mundo e universo Pokémon.

            Leon permanecia no topo da colina da aldeia, concentrado nos seus próprios pensamentos. Alguns metros ao seu lado, Hop encontrava-se acompanhado do seu Wooloo, resgatado horas antes no interior da Slumbering Weald. Os corpos de Victor e Gloria também se encontravam no local. Os dois gémeos continuavam desmaiados, depois do Charizard do Campeão os encontrar inconscientes dentro da floresta misteriosa.

            - Acho que estão a acordar! – exclamou Hop, fazendo com que Leon despertasse do seu transe e se aproximasse do grupo.

            Calmamente, Victor e Gloria começaram a abrir os seus olhos e a mexer os membros do seu corpo. Apesar de atordoados e confusos com o acontecimento anterior, os gémeos não apresentavam consequências graves daquele encontro misterioso.

            - Onde é que estamos? – a voz de Victor saiu fraca.

            - Em Postwick. – respondeu Leon rapidamente. – Aqui estamos seguros.

            - O que aconteceu? – perguntou Gloria, numa voz sonolenta.

            - O Charizard encontrou-vos inconscientes na Slumbering Weald. Conseguimos resgatar-vos e voltámos para aqui. – explicou o Campeão. – Não sabemos de mais nada.

            - Estiveram inconscientes durante horas! – Hop exclamou, visivelmente preocupado.

            Os gémeos entreolharam-se. Apesar de ainda estarem confusos, começavam a lembrar-se do encontro misterioso com os dois Pokémon.

            - Nós vimos algo. – murmurou Victor.

            - Eram dois Pokémon, acho eu. – continuou Gloria. – Pareciam dois lobos. Estavam feridos. E começaram a uivar quando nós tentámos aproximarmo-nos deles.

            - Uivaram mesmo muito alto. – reforçou o rapaz. – Vocês não ouviram?

            - Não ouvimos nada. – Leon sentou-se à frente dos dois, curioso para descobrir mais sobre o sucedido. – Que estranho.

            - E depois? – o moreno também se sentou no chão, ao lado do seu irmão.

            - Não me lembro. – Victor encolheu os ombros.

            - Nem eu. – dizia Gloria, enquanto cruzava as pernas e apoiava o cotovelo sobre o joelho, segurando a sua cabeça com a mão. – Depois acordámos aqui.

            - Que Pokémon eram esses? – perguntou o Campeão.

            - O Pokédex não os identificou. – explicou o gémeo mais novo.

            - Mas pareciam diferentes… - interrompeu a rapariga. – Os seus corpos não pareciam reais.

            - Que estranho. – comentou Hop. – Talvez não devêssemos ter entrado na Slumbering Weald.

            - Pelo menos, conseguiste encontrar o Wooloo. – Victor sorriu, reparando na presença da ovelha no local.

            - Desculpem ter-vos colocado em perigo. – disse o moreno. – A culpa de tudo isto é minha. Espero que estejam bem.

            - Nós tínhamos de o fazer. – falou Gloria. – Achas mesmo que esta é a primeira vez que algo de estranho vai acontecer na nossa jornada? – riu.

            - Tens razão. – concordou Leon. – Isto é apenas o começo. Preparem-se.

            O grupo fez silêncio e, por momentos, o único som possível escutar-se no local era a brisa da noite, que abanava as folhas das árvores espalhadas pela colina inclinada de Postwick.

            Com a escuridão da noite, os três jovens treinadores não deixaram de notar um rochedo, no topo da colina, que parecia reluzir um brilho diferente, que nenhum deles nunca antes vira. Os três entreolharam-se, lendo os pensamentos uns dos outros, e levantaram-se de imediato, surpreendendo Leon.

            - Onde é que vocês vão? – O trio não respondeu. O Campeão levantou-se do chão e seguiu os jovens, que se aproximaram de uma rocha que emitia um brilho que ele conhecia. – Não pode ser… - murmurou.

            Debaixo do rochedo iluminado, três pequenas rochas brilhavam intensamente. No seu interior, uma energia parecia mexer-se, emitindo um brilho ofuscante.

            - O que é isto? – Hop virou-se para o seu irmão, segurando uma das rochas na mão.

            - Wishing Stars. – Leon sussurrou, visivelmente deslumbrado.

            - Para que servem? – Gloria pegou noutra.

            - A energia que existe no interior de cada uma dessas rochas é utilizada no processo Dynamax. – explicou o Campeão.

            - Como é que isso é possível? – Victor admirava a última rocha ali presente, pegando nela.

            - Através disto. – Leon ergueu o seu braço, revelando a pulseira que usava ao pulso. – Uma Dynamax Band. Esta, especificamente, foi-me oferecida por Rose, enquanto eu ainda enfrentava os Líderes de Ginásio de Galar. – explicou.

            No interior da pulseira era visível o mesmo exato brilho que as Wishing Stars dos três jovens irradiava.

            - Que fixe! – exclamou o seu irmão mais novo.

            - Então, o Presidente Rose também nos pode oferecer uma? – perguntou Gloria ingenuamente.

            - Bem, na verdade, é um pouco difícil contactá-lo. – Leon deixou-se rir. – Ele é um homem bastante ocupado, como todos sabem. Mas penso que a Professora Magnolia é capaz de vos ajudar com isso.

            - Então temos mesmo que ir ao encontro dela. – murmurou Victor.

            - Certíssimo. – concordou o Campeão. – E agora devíamos todos ir descansar. Hoje foi um dia em cheio!

            Os três treinadores concordaram e, depois de arrumarem todos os seus pertences, começaram a descer a colina na direção da povoação.

            - Amanhã partiremos bem cedo. – falou Hop enquanto caminhava.

            - Eu preciso do meu sono de beleza! – contrapôs Gloria.

            - Será o último por algum tempo... – riu Victor.

            Mais uma vez, os três jovens observaram, com admiração, o céu negro, iluminado pelas estrelas infinitas. As constelações pareciam formar um caminho que todos desconheciam, mas desejavam percorrer – o percurso dos sonhos.

  
  

{ 7 comments... read them below or Comment }

  1. Yooo Angie

    Hop ganhou o famoso Wooloo, admito que este é um dos meus Pokémon favoritos de Galar, ele é tão fofo :3

    Essa floresta no começo do jogo me causa arrepios, mas eu adoro o design dela e toda a neblina.
    E uau, lá vem os lendários, eu ainda não entendo muito as formas deles, mas eu gostei como você trouxe os dois para os gemeos, acredito que seja coisa do destino, e isso me empolga demais.

    Um capítulo cheio de mistérios no ar mas com um clima calmo comi todo começo de jornada é. Parabéns pelo capítulo <3

    See ya

    ReplyDelete
    Replies
    1. Querida Star!

      É verdade, sim. Hop recebeu um Wooloo da própria família. Sendo ele um dos meus Pokémon preferidos desta geração, senti que devia dar uma história com significado para ele. Agora resta saber como ele vai se sair nas mãos de Hop.

      Slumbering Weald é toda envolta de grande mistério mesmo. Eu nunca joguei estes jogos, mas sempre admirei aquele primeiro encontro com os Lendários. Por alguma razão, achei bastante único e icónico. Como tal, decidi trazê-lo igualmente para a história. No entanto, esta cena tem bem mais significado do que aquilo que pode parecer inicialmente. Espero que não se esqueça deste apontamento bem lá para a frente na história.

      Mais uma vez, obrigado por continuar a acompanhar a história de Galar! É sempre uma honra ter você por aqui! Até!

      Delete
  2. Wooloo fofo.
    Não conheço muito de Galar mas essa floresta parece interessante.
    Adorei este cap calminho. Continue assim!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yooo Shiny!

      Eu até ao momento não joguei os jogos dessa geração, mas deixo-me impressionar pelos gameplays disponíveis no YouTube. Slumbering Weald é um dos locais mais misteriosos e enigmáticos de Galar. Como tal, decidi retratar essa floresta na história e colocar os nossos protagonistas em perigo (só um pouquinho).

      Ainda bem que gostou! Obrigado por comentar! Até!

      Delete
  3. AAAAAAAAAaaaaAngie!!!

    Desculpa, desculpa, desculpa pela minha demora, amigo! De verdade! Eu tinha lido o seu capítulo a um boooom tempo, mas infelizmente fiquei sem tempo para comenta-lo, mas fique sabendo desde inicio que já tinha curtido e muito a maneira que você transformou a cena do Game para sua história! O mês de Abril foi bem estranho para mim em geral, o tempo para comentar a até mesmo para escrever diminuiu muito, mas aqui estou finalmente para comentar um poquinho sobre o seu lindo capítulo. Está pronto?!

    Eu adoro o Hop com o Wooloo! Devo confessar que no inicio, na revelação dos jogos, não fui muito com a cara do Hop e muito menos com a ideia de juntar um pokémon tão ''fácil'' de se encontrar com ele, mas após a jogatina e da representação desses dois tanto na série Twilight Wings quanto na sua história me fez entender que eles são dois amores juntos e agora não consigo imaginar o Hop sem outro pokémon que o representa sem ser no fofinho Wooloo!

    A respeito da floresta.

    EU A-DO-RO ELA, o clima que te passa, mística, desconhecida mas ao mesmo tempo linda e encantadora e que te faz ficar hipnotizado por causa daquela névoa e toda aquela Soundtrack que o jogo te faz passar, como se você estivesse prestes a ser o escolhido para carregar o legado dos dois lendários, acho isso muito bonito e que você conseguiu passar essa sensação e como a Star falou em cima o fato dos dois protagonistas serem gemeos, deixam as coisas muito mais interessantes, e talvez, só talvez... que seja coisa do destino...

    Estou esperando o próximo capítulo, quero ver o que vai acontecer com os nosso protagonistas e como que, a partir de agora você vai trabalhar cada um deles, os seus medos e inseguranças no meio de um mundo praticamente gigantesco e desconhecido aonde pode aparecer um Pangoro Dynamax pronto para te comer ou um Onix de nível 943232.

    Eu adoro Galar (apesar de algumas resalvas e problemas que eu tenho com o jogo etc) e você, se trabalhar tão bem quanto fez com WILD e até agora, você pode e vai fazer uma história muito boa! <3 Não desista!

    Até a próxima!

    ReplyDelete
    Replies
    1. PS: Você esqueceu de adicionar o link do capítulo 3 no ''Próximo Capítulo '' do 02 ~rs

      Delete
    2. Olá companheiro!

      Não tem que se desculpar por demorar a comentar! Todos nós temos vidas para além deste mundo virtual, não é verdade? Para mim, por exemplo, este mês de maio está a ser bem agitado a níveis académicos, por isso tenho estado mesmo muito ausente por estes lados.

      Concordo plenamente sobre a relação entre Hop e Wooloo. Para mim, o episódio de Twilight Wings vendeu a relação e a história entre eles! Foi tão bonito e emotivo! Na altura, já tinha este capítulo concluído há algum tempo, mas só me deu mais confiança e certeza relativamente à minha escolha. A história deles ainda agora começou!

      Slumbering Weald é muito misteriosa e eu adorei ver isso tão cedo nos jogos! Obviamente tinha que adaptar para a história de Galar. E fico feliz que o resultado, para vocês, tenha sido bem recebido! Confesso que, na altura em que escrevi esta cena, pensei bastante em várias formas de abordar o tema, mas penso que, no final, fiz o melhor que conseguia e sabia.

      E será que o facto de Victor e Gloria serem gémeos tem alguma relação com este acontecimento ou com os lendários? Observação bem interessante, meu caro!

      Companheiro, muito obrigado pelas suas palavras de motivação. Apesar dos tempos difíceis que vivemos, é bom saber que temos sempre este cantinho onde podemos voltar e isolar-nos do resto do mundo e daquilo que acontece. Aqui podemos ser quem nós quisermos. Isso não é lindo?

      Até ao próximo capítulo!

      Delete

- Copyright © 2019 Aventuras em Galar - Escrito por Angie - Powered by Blogger - Designed by CanasOminous -